quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

O Segredo

Um homem não poder escorregar na lama se tiver na mão uma bengala.
O pai do caçador tinha morrido. O caçador não tinha dinheiro para os funerais

No começo do mundo não se enterravam os mortos como se faz agora, era colocado em uma grade de madeira sobre quatro pés e acendia –se em baixo uma grande fogueira, evitando assim, que passarem pelo processo de decomposição. A cremação durava três lua e, durante este tempo, os parentes do morto deveriam providenciar para que os funerais fossem dignamente celebrados.
O caçador tinha muitos amigos e, sempre que algum deles precisava celebrar um funeral, era a ele que os procuravam para encomendar a caça para ser comida durante o ritual e agora o caçador que tinha um ritual a celebrar, e nada podia oferecer aos seus amigos.
Quando faltavam sete dias para o termino da cremação, não tendo nenhum cauri e sem encontrar outra solução, resolveu sair ele mesmo a caça.
Partiu –se na floresta, deparou com um rio de águas escura e pode ver, na margem oposta, uma grande quantidade de diferentes animais.
Como atravessar o rio de águas tão negras se não posso avistar o fundo?
Em busca de uma solução , sentou se a sombra de uma árvore kpejere ali existente e, como estava muito cansado logo adormeceu
Durante o somo teve um sonho no qual uma voz dizia:
- levanta –se, atravessa o rio, na outra margem muitas caça te esperando para ser abatida! E a voz repetia –se constantemente.
Acordando voltou a ouvir a voz que repetia as mesmas palavras. Procurou quem poderia esta falando aquelas palavras, mas não encontrou. De repente, a mesma voz:
-sou eu a árvore quem te esta falando, anda, atravessa o rio do outro lado há caça a tua espera!
-como poderia atravessar com segurança se não posso ver o fundo do rio de tal escuridão das águas?
Falou a árvore:
-corta um dos meus galhos com as pontas enforquilhadas, toca a cada passo o fundo do rio no local onde irar pisar, assim saberás se é raso ou fundo.
Abateu tanta caça que pensou não poder transportar tudo até a aldeia.
Amarrando os animais abatidos em um cipó, tratou de atravessar o rio arrastando atrás de se o fruto do seu esforço.
os animais abatidos foram colocados aos pés da árvore kpejere, que novamente falou:
-Eu adoro as vísceras destes animais, foi por isto que te ensinei a forma mais segura de alcança -los. Agora meu pagamento, deves oferecer-me as vísceras de todos os aninais que abatestes.
Achando justa a proposta, o caçador abriu o ventre de todos os animais, de onde retirou as vísceras que foram depositadas ao redor do tronco da árvore, depois retornou a sua aldeia com sua preciosa carga que proporcionaria condições de celebrar com dignidade os funerais de seu pai.
Passado algum tempo, morreu a mãe do lenhador que , da mesma forma que o caçador, encontrava- se sem recursos para realizar os funerais.
Depois de muito caminhar, foi deparar com o mesmo rio que o caçador havia encontrado e o rio lhe falou:
-lenhador permita, se esta à procura de madeira de valor, existe alí uma arvore enorme kpejere, com uns golpes do teu afiado machado poderá abater madeira da mais alta qualidade.
-Meu machado e muito pequeno para uma árvore de tronco tão grosso!
-Não faz mal,corte os pequenos galhos e seu trabalho será muito bem recompensado.
Assim foi feito e a madeira obtida foi vendida por mil e quinhentos curis, importância mais do que suficiente para que durante o rituais, todos pudesse se regalar.
Mas porque razão, teria o rio ordenado ao lenhador para que abatesse a árvore grande? 
Acontece que em ocasião do acidente com o caçador o abate foi tão grande que os animais se revoltaram e resolveram se afastar em busca de outro lugar mais segura para habitar.
Era costume os animais em agradecimentos aos serviços prestados pelo rio oferecem-lhe anualmente um dos seus filhotes, com o afastamento dos animais o rio não recebeu mais o seu atributo.
Sabendo ser a árvore a única responsável pelo ocorrido, o rio tratou logo de se livrar dela, motivo pelo qual mandou o lenhador abate-la.
A arvore kpejerekun diz: se eu revelar o teu segredo todas as tuas raízes ficarão expostas ao ar..Orunmilá fala devemos ser mais discreto com os segredos que lhe são confiados. 
Ase Ase Ase.










Nenhum comentário:

Postar um comentário